fbpx

Meias

Os pés, assim como outras partes do corpo, transpiram, mas caso sejam mantidos abafados por muito tempo, o ambiente úmido pode virar morada de bactérias, o que causa o mau cheiro. “Conhecido popularmente como chulé, esse odor tem o nome técnico de bromidose, que surge devido à ação de bactérias sobre um ambiente quente e úmido, como é o caso do suor”, afirma Maria de Lourdes Pinheiro, podóloga e coordenadora técnica da Doctor Feet, rede especializada em serviços de podologia, manicure e venda de produtos médicos, ortopédicos, bem-estar e saúde. 

Segundo a especialista, os principais fatores que favorecem o aparecimento do chulé são: uso de meias inadequadas, usar sapatos sem meia e calçados fechados por longos períodos, assim como repeti-los por vários dias seguidos; má higiene dos pés; ingestão em excesso de alguns alimentos, como alho, cebola, álcool e pimenta; medicamentos, como a penicilina, e algumas doenças de pele ou unha, que costumam intensificar a bromidose. Então, confira sete dicas que a profissional preparou para o chulé largar de vez do seu pé:

  • Dê um tempo aos calçados – Não use o mesmo calçado por vários dias seguidos, pois é importante que eles ventilem, e as meias, assim que usadas, já coloque para lavar;
  • Banho de ar – Para que os sapatos não se tornem um reduto de chulé, depois do uso, deixe-os em um local bem ventilado;
  • Mantenha os pés secos – Bactérias amam áreas úmidas, portanto, para evitá-las, seque bem os membros após o banho e antes de se calçar;
  • Higiene é tudo – A principal regra é manter os pés bem lavados e com as unhas devidamente limpas e cortadas, pois isso evita qualquer odor desagradável;
  • Produtos amigos – Se for preciso, faça uso de talcos, cremes e sprays antissépticos e antitranspirantes, já que hoje no mercado há até versões perfumadas;
  • Visite um profissional de podologia regularmente – A limpeza profunda da pele e unhas ajuda a minar as fontes de proliferação de bactérias e doenças de pele que causam o mau cheiro; 
  • Evite usar: 
    • Sapatos de plástico, pois elevam a produção de suor e não deixam os pés ventilados. Melhor não abusar;
    • Meias sintéticas, modelo este que não absorve nada do suor. Dê preferência às versões de algodão e troque o par todo dia;
    • Calçados abafados, já que a recomendação é fazer um rodízio dos calçados.

Para finalizar, a especialista ressalta que se o chulé não melhorar com essas dicas, o mais indicado é procurar ajuda de um médico. “Pacientes com hiperidrose [transpiração excessiva], por exemplo, devem receber tratamento médico para poder tratar o odor ”, recomenda.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceito Leia mais

Política de privacidade e cookies